6 DICAS PARA REALIZAR UM BOM ORÇAMENTO DE PINTURA - ÁREAS EXTERNAS

5-Jul-2016

 

 

6 DICAS PARA REALIZAR UM BOM ORÇAMENTO DE PINTURA - ÁREAS EXTERNAS

É preciso antes de tudo ter disposição para iniciar os cálculos de um orçamento sem falhas, condições climáticas e superfícies desgastadas por condições adversas, podem comprometer e determinam prazo e preço da obra.

 

Muitas vezes imóveis similares, com metragens muito próximas, tem custo e prazos totalmente diferentes, isso pode facilmente enganar um pintor descuidado e desatento aos detalhes.

 

 

 

1 – Calcular a área a ser pintada

 

É necessário fazer uma conta bastante simples, você deve ter uma trena de no mínimo 5m, ou a digital, que ajuda bastante nessas horas.

 

Tire todas as medidas horizontais das paredes, depois calcule a medida vertical 

(pé direito)

 

Considere vãos de profundidade, colunas e outras áreas paralelas das paredes.

 

Ignore as áreas sem alvenaria como portas e janelas, calcule toda a parede.

 

Dimensione em seguida apenas áreas separadas por metro quadrado, linear ou unidade, como portas, janelas, rufos e grades, à parte, conforme ilustração de um imóvel externo abaixo:

 

 

RESUMO:

  • Área de paredes externas - (Largura) 39 x 6 (Altura) = 234m2

  • Portas: 2 unidades

  • Janelas: 3 unidades

  • Rufos: 12m lineares

  • Grades: 7m quadrados

  • Pedras: 5m quadrados

 

2 - Preparação da superfície

 

Avalie o tratamento que deverá ser feito nas superfícies como:

  • Raspagem de cascas na alvenaria, sela trinca, limpeza e lixamento.

  • Aplicação de massa acrílica, seladora, textura.

Avalie também a preparação de ferragens e madeira como:

  • Remoção ou apenas preparação de tintas e verniz antigos.

  • Aplicação de massa própria para vedação de imperfeições, corrosão e desgaste natual

 

 

3 – Pintura e acabamento

 

Para alvenaria é indicada a pintura externa com tinta acrílica fosca, semibrilho ou acetinada, dependendo da necessidade do cliente.

 

Texturas com base acrílica ajudam a proteger as superfícies de alvenaria. Além disso, a aplicação desses produtos melhora a estética do imóvel e aumentam o custo da mão de obra.

 

Ferragens

 

Normalmente recebem pinturas esmalte, avalie a necessidade de aplicação com pulverização ou pincel, ele tem acabamento fosco, brilhoso ou acetinado. 

Lembre-se, pintura antiga com tinta a base de solvente deve receber o mesmo tipo de tinta a base de solvente, por isso não aplique base d'agua.

 

Madeiras

 

Também podem receber pintura com tinta esmalte, mas uma vez envernizadas, recomenda-se manter o mesmo acabamento original. 

Caso a madeira esteja envelhecida e desgastada por conta do tempo, recomenda-se adicionar corante escurecedor no verniz.

 

Tijolos e pedras

 

Normalmente usa-se aplicação de resinas, vernizes e tinta específica para cada tipo de pedra. Atente-se para as condições de limpeza antes da aplicação de algum produto, caso necessário inclua em seu orçamento de custo a lavagem e remoção de limos, bolores, respingos...

 

 

 

4 – Equipamentos de segurança e proteção 

 

Andaimes, rodilhos, sapatas, plataformas de apoio, trava-quedas, escadas, cordas, cabos de aço para fixação.

Todos esses itens devem ser estudados, se possível com orientação de um técnico de segurança do trabalho e planejados com tempo de instalação, tempo de uso e custo total.

 

 

5 -Materiais de uso e consumo

 

Avalie com seu cliente quem será responsável pela compra de todos os materiais, esse cálculo pode fazer toda a diferença no preço do serviço:

 

Materiais de consumo:

  • Tintas e vernizes

  • Solventes, massas e texturas

  • Lixas, fitas de isolamento, lonas e papelões

Trinchas e rolos de uso descartável como em pintura esmalte, resina e epóxi, também são considerados materiais de consumo e devem estar embutidos no preço total dos materiais

 

Materais de uso

Estensor, espátula, desempenadeira, trincha e rolo para pintura latex, são considerados materiais de uso pessoal, ou seja, suas ferramentas de trabalho, e não devem constar neste cálculo.

 

6 -Preço

 

Mas quanto cobrar para serviço externos em imóveis como este?

 

A conta pode ser facilmente entendida, a partir de um cálculo em que soma-se o preço médio da mão de obra do pintor x a metragem da área a ser trabalhada.

 

Minha recomendação é que você utilize a planilha para cálculos de orçamento de pintura fornecida pelo Programa Eu Sou Pintor, e desenhe calmamento o preço médio da sua mão de obra para cada tipo de serviço. Acesse aqui e veja o vídeo explicando desta planilha.

 

Após a soma, confira se o resultado bate com suas expectativas, aqui na Sr.Capricho essa planilha sempre nos dá uma direção de preço.

 

Acesse aqui e baixe também bolsa de serviços de pintura do Jornal do Pintor, pra que você tenha um norte dos valores praticados no mercado brasileiro.

 

Materiais

Tente discriminar o máximo de informação sobre os tipos e marcas de produtos a serem utilizados, desta maneira você minimiza as chances de falha de informações.

Caso a opção do cliente seja que você compre os materiais a sugestão é que você inclua 15% no valor total materiais por custos extras cotidianos de uma obra.

 

Conclusões

Em serviços externos deve-se atentar para as condições climáticas de temperatura como chuva, sol e tempo humido. Estas condições interferem positiva ou negativamente no prazo final de sua obra. Por isso, em casos como esses recomenda-se informar ao cliente a quantidade de dias “tralhados” e não dias corridos.

 

Muitas vezes uma informação mal passada pode comprometer todo seu trabalho e reputação com o cliente, prejudicando você financeiramente. Detalhe conteúdos como preparação de superfícies de madeira, ferragem, o tipo de tinta a ser utilizada, condições de trabalho e prazos.

 

O sucesso começa com boa comunicação entre você e seu cliente.

Please reload

ATENÇÂO
Eu quero receber os e-mails e informações do Programa EuSouPintor